Primeiro de março é o palco de celebrações importantes no Rio de Janeiro, capital do estado de mesmo nome: celebra-se o aniversário da sua fundação em 1565 por Estácio de Sá. Cariocas honram a sua cidade, por meio de uma celebração para recordar a sua história e suas origens.

História do Rio de Janeiro

A criação da cidade do Rio de Janeiro

Em 1501, após o descobrimento do Brasil, o rei de Portugal Dom Manuel I enviou uma expedição para explorar a costa, comandada provavelmente por Gaspar de Lemos. Em primeiro de Janeiro de 1502, as embarcações enviadas pelo rei Dom Manuel I, chegam na esplêndida baía – mais tarde denominada « Baía de Guanabara ». Pensando que era a foz de um rio, os navegadores batizam esta parte da costa « Rio de Janeiro ».

Os portugueses não se instalam imediatamente no Rio de Janeiro, que já estava ocupado por duas tribos indígenas. No entanto, as ameaças francesas e espanholas, eventualmente, incentivaram a Coroa Portuguesa a   fortalecer sua presença nessa nova terra. Os portugueses também tinham que lutar contra-ataques de piratas franceses e holandeses.

Em 1555, o almirante Nicolas Duran de Villegagnon mandou construír o Forte Coligny e Henryville para instalar uma colônia protestante, onde o francês poderia praticar livremente sua religião. Nessa época os franceses tentavam estabelecer a França Antártica. Portugal não queria nenhuma instituição estrangeira. Então, é enviado Mem de Sá (foi o terceiro governador geral do Brasil) para expatriar os franceses. Em 1 de março de 1565, após dois anos de luta, os portugueses conseguiram expulsar os franceses da Baía de Rio. O português Estácio de Sá, sobrinho de Mem de Sá, em seguida, fundou a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro em honra de D. Sebastião de Portugal I. Esta cidade é, hoje, chamada Rio de Janeiro, mas durante séculos foi conhecida apenas como São Sebastião.

O desenvolvimento económico e político

No final do século XVI, a cidade possui uma posição estratégica para o trânsito atlântico de navios entre o Brasil, as colónias africanas e a Europa. Fortalezas foram construídas e alianças com os indígenas foram criadas para defender as colônias portuguesas. A cidade tem seu desenvolvimento econômico no século XVIII, com a descoberta de ouro e diamantes na região vizinha em Minas Gerais, tornando-se uma cidade portuária mais útil para a exportação de riqueza do que Salvador de Bahia. É por razões logísticas que a administração colonial portuguesa se instala no Rio de Janeiro em 1763, tornando-se a capital do Brasil, no lugar de Salvador de Bahia. A cidade continua a ser uma capital colonial até 1808.

Devido à invasão das tropas de Napoleão a Portugal, a Família Real Portuguesa (D. João VI, D. Maria I e seu filho Pedro) e os mais nobres de Lisboa fogem para o Brasil e se estabelecem no Rio de Janeiro. A capital do reino Português é transferida de Lisboa para o Rio de Janeiro, que se torna então a única capital europeia localizada fora do continente. Quando eles retornam para Portugal em 1821, o Brasil abre as portas comerciais para mercado do Reino Unido e torna o Brasil à condição de reino unido à coroa de Portugal.

Dia 7 de setembro de 1822, o príncipe regente D.Pedro I proclamou a independência do Império do Brasil. Em 1824 a monarquia se tornou constitucional. Em 1831, o Imperador Pedro I abdicou em favor de seu filho, ainda com 5 anos, sob pressão das elites. Em 1850, D.Pedro II luta contra a escravidão. O cultivo do café está crescendo e dá importância para os proprietários. D.Pedro II permite que a cidade de Rio de Janeiro desfrute de grandes desenvolvimentos:  gás, canalização, barragens hidroelétricas, telefone e telégrafo. Em 1871, o Império proclama a liberdade dos filhos de escravos no nascimento. Em 1888, a Princesa Isabel, filha de D.Pedro II, cria a lei abolindo completamente a escravidão no Brasil.

Em 1889, D.Pedro II foi derrubado. A República sob a presidência do Marechal Deodoro da Fonseca, estava nas mãos das classes dominantes que detêm o poder econômico e se recusam a organização de eleições livres. Eles mantêm o Rio de Janeiro como capital. Esta república que durou 1889-1930, é referida como a República « Café com Leite ». Em 4 de Outubro de 1930, um novo golpe de estado acontece, colocando Getúlio Vargas como presidente da nova República brasileira em 1934. Ele levou o compromisso ao país no direito universal ao voto, permitindo o voto das mulheres e o voto secreto. Em 1937, tornou-se ditador e abandona o poder em 1945. Para evitar os julgamentos de Nuremberg, vários líderes nazistas encontraram refúgio no Brasil e no Rio. Getúlio Vargas voltou ao poder 1951-1954, mas acusado, desacreditado e encurralado, ele cometeu suicídio no Rio.

Em 1955, Juscelino Kubitschek foi eleito presidente do Brasil. Ele constrói uma nova capital chamada Brasília. Em 21 de abril de 1960, o Rio de Janeiro não é mais o capital, mas torna-se o do Estado da Guanabara. Durante o período em que era a capital da federação brasileira, Rio de Janeiro atraiu turistas, imigrantes, trabalhadores e muitos empresários e diplomatas. O Rio permanece, assim, uma das cidades mais visitadas do Brasil.

Comemoração de aniversário do Rio de Janeiro

Uma das cidades mais visitada do Brasil e conhecida mundialmente pelas lindas prais e pontos turísticos, tais como Cristo Redentor, o Estádio do Maracanã entre outros. Não esquecendo que é também o palco para o carnaval. As festividades do Carnaval se estendem até as comemorações do feriado estadual de aniversário da cidade, ainda em clima de carnaval homenageando seus habitantes e suas riquezas culturais.

Em que dia é este ano o aniversário do Rio de Janeiro ?

Para nao faltar os preparativos para celebrar esse dia importante do aniversário do Rio de Janeiro, nos deixamos-te este calendario oficial para cada ano.